Google Trends para Websites

O Google anunciou na semana passada uma nova versão do Google Trends, o trends for websites que oferece estimativas de tráfego para sites.

A ferramenta em si está ainda longe de apresentar dados de confiança relativos ao tráfego, como se pode ver por estas comparação de 3 dos blogs portugueses mais lidos:

Google trends para websites
(mais em trends.google.com)

Os dados do Google Trends pecam por defeito e estão ainda longe da realidade, sobretudo para sites pequenos que nem sequer aparecem; ao mesmo tempo eles permitem identificar os principais termos utilizados no motor de busca, a localização dos visitantes e sites relacionados, informação que poderá ser útil para quem compra publicidade.

A informação do Google Trends para Websites é recolhida através da ToolBar, da informação do Analytics voluntariamente cedida pelos webmasters (era para isto que o Google queria a nossa permissão para usar a informação), das visitas através do motor de busca, dos clicks via feed,… Se o Google se permite divulgar estes dados imaginem a informação que não terá já dos nossos sites e o que poderá fazer com ela.

2 plugins de estatísticas essenciais para wordpress

Num tempo não muito distante os bloggers contentavam-se com a versão gratuita do sitemeter: um contador, informação sobre as últimas 100 visitas e pouco mais. Serviços como o Statcounter e sobretudo o Google Analytics (recomendados nas ferramentas SEO) subiram, e de que maneira, a oferta e continuamos ainda com os serviços gratuitos.

O WordPress, pela sua versatilidade, permite a configuração de extensões em minutos que permitem recolher informação importante sobre os nossos visitantes. Para os blogs alojados em domínio próprio existem dois plugins que tenho por fundamentais: o primeiro por ser prático e directo, o segundo pela profundidade na análise.


O plugin de stats do wordpress.com, o mesmo que é utilizado na plataforma wordpress.com. É este que consulto com maior frequência, o que me fornece as informações mais imediatas. Indica-me o número de vistas num dia ou período (mas não visitantes), as fontes de visitas, as principais palavras-chave nos motores de busca e por onde saem os meus visitantes. Recentemente passou a disponibilizar esta informação agregada e por isso sei que o feed do MB foi visto pelo menos 77 vezes por visitantes deste blog nos últimos 30 dias, e posso imediatamente verificar quantas vistas teve cada página durante os últimos 6 meses.

A página do plugin está localizada no painel de controlo do blog, para acesso imediato:
Estatisticas blogs wordpress

Demasiado imediato, dirão alguns ;)
O segundo plugin, é o ultimate google analytics. Se ficou impressionado com as capacidades do primeiro plugin o Analytics vai bastante mais longe na quantidade e qualidade da informação que lhe disponibiliza. Este plugin não só instala o código automaticamente nas páginas do blog como permite recolher informação sobre páginas de saída, downloads e cliques em emails. Ao contrário do primeiro serviço, que lista até 40 itens, o GA é bastante mais exaustivo e um must absoluto para quem deseja conhecer o comportamento dos seus visitantes.
Dica: para ver a informação sobre as páginas de saída/downloads filtrar as páginas vistas por outgoing/downloads (quem instala o plugin sabe do que falo).

Os leitores recomendam algum serviço ou plugin para estatísticas? Esta página do worpress lista dezenas de alternativas.

Leitores de feed no Google Reader – actualizado

Na quarta publiquei aqui uma listagem com alguns dos blogs portugueses mais lidos no Google Reader – boa parte dos quais estarão entre os mais seguidos da blogoesfera portuguesa. Hoje actualizei a lista com novos blogs que tinha deixado de fora e incluí ainda os dados do bloglines para referência. No total, mais de 60 blogs.

Parte da responsabilidade por esta alteração é do Rui do Webmania. Também ele pensou em criar uma lista idêntica e perante a falibilidade dos dados para alguns blogs deixou a ideia de lado. Depois de eu a ter publicado enviou-me um email motivador.

Os blogs portugueses mais lidos no G. Reader continuam a ser Pplware, Digital, Abrupto e Markl, mas daí para diante há alterações significativas.

Crazy Egg esteve aqui!

Durante alguns dias, tive um pequeno teste a correr neste blog com o Crazy Egg, uma ferramenta que permite gerar mapas de calor (heatmaps) que simulam os cliques dos utilizadores.
Algumas centenas de visitas depois, este é o resultado:

crazyegg
(Heatmap – página principal do blog)


Nas palavras da empresa o Crazy Egg “facitita: testar diferentes versões de uma página para ver qual funciona melhor, descobrir que localizações de anúncios produzem os melhores resultados, e que design melhor encoraja os visitantes a clicar para outras páginas do site, aprender que conteúdos conduz a melhores vendas.”

Algumas conclusões do teste

Não considero o teste como conclusivo, dado o seu alcance e duração. Todavia, algumas conclusões podem ser recolhidas:

→ Os visitantes raramente clicam no título da entrada, mas são ávidos leitores dos comentários, e usam o link correspondente.
→ Os links no cabeçalho são bastante requisitados, incluindo o link para o feed do blog.
→ O canto inferior direito do ecrã não recebe muita atenção. Já a coluna do meio é alvo de mais atenção.
→ Os elementos gráficos, particularmente aqueles cuja côr salta à vista, recebem maior atenção.

crazy egg no marketing de busca -2
(Heatmap -Continuação da página principal)

→ Apesar de ter colocado o código no rodapé de todas as páginas as estatísticas do serviço correspondem apenas à página principal.Só assim se compreende que o crazyegg indique 7 clicks para um site e o plugin de estatísticas apresenta mais do dobro desses cliques.
crazy egg overlay
(links mais clicados – overlay)

→ A funcionalidade Confetti lista os locais exactos dos cliques e associa-os, por cor, à página de proveniência:
crazy egg confetti
(funcionalidade confetti)

→ Como se pode verificar a caixa de procura no canto superior direito é alvo de elevada curiosidade, possível efeito do design e cópia estimulante

→ O principal site de origem de visitas na página foi o próprio marketingdebusca.com, ou seja as páginas internas do blog.

Nota: A ferramenta não identifica quem visita ou indica o percurso de visitantes individuais no site.

No futuro pretendo testar alguma das páginas mais populares neste blog e correr um teste mais longo na página principal. Seria também interessante verificar o comportamento dos visitantes oriundos de blogs externos à “geekoesfera“, tal como aconteceu em Agosto, e contrastar com as visitas provenientes de blogs e fóruns dedicados à tecnologia e ao marketing.

Um desafio aos leitores

Abra uma conta gratuita no crazy egg, instale o código (é só copiar+colar 2 linhas de javascript) no seu blog e corra um teste durante uma semana. Publique ou envie-me as suas conclusões na próxima quinta-feira.

PS: Em vez de visitar directamente o site sugiro-lhe que utilize o código promocional do Problogger que lhe oferece o registo de até 6000 visitas mensais, em vez das normais 4000 (clicar em qualquer um dos links “crazyegg”).

Para os utilizadores do StatCounter

Nada como melhorar os atributos do serviço gratuito e «esquecer» de actualizar as contas dos utilizadores mais antigos ou sequer avisá-los. Foi o que (não) fez o statcounter, que alterou o número máximo de registos de 100 para 500. Os utilizadores com projectos anteriores à mudança terão de se aperceber da alteração e operá-la manualmente. Cá vai:

Numa página do projecto clicar na chave inglesa:chave Na página seguinte clicar onde diz Adjust Log Size – If you upgrade your account you can increase your log size. e inserir 500 na caixa que aparece de seguida. Clicar no botão “Adjust log size”.

Repetir para cada projecto.
Com esta melhoria o StatCounter bate o rival Sitemeter em quase todos os domínios, ficando apenas a faltar a indicação das páginas para as quais os visitantes partem.

As palavras mais procuradas pelos portugueses

Será Youtube realmente a palavra mais procurada pelos portugueses?
Os dados do Google Trends sugerem outras palavras como mais buscadas. E o estudo da Marktest enferma de uma “pequena” limitação
(adendado: 24.05.)

A Marktest pôs cá fora um top das pesquisas para o primeiro trimestre, tendo por base a análise do comportamento dos internautas portugueses a partir de um painel de utilização doméstica. As informações são recolhidas de um painel de 1000 lares voluntários seleccionados aleatóriamente -mais informação no site da Marktest. Curioso em saber da validade das conclusões obtidas através deste painel, resolvi comparar com os resultados do Google Trends.

Segundo as notícias, o estudo apresenta Youtube, hi5 e gmail no top das pesquisas dos portugueses. No top ten encontram-se ainda jogos, Google, Wikipedia, Hotmail, Sapo e Sexo. O Google trends permite comparar resultados para até 5 termos de cada vez, vejamos os primeiros:

google trends
Quadro 1 (clique para verificar no Google Trends)

A amostra do Google apresenta o termo hi5 como o mais popular, e a grande distância do líder do painel Marktest – quase o dobro do número de buscas para youtube. Jogos e gmail empatam para o segundo posto.
Vejamos os restantes termos:

trends
Quadro 2

Sexo e sapo destacam-se claramente. Juntando estes dois com os três mais populares do quadro 1:

Sites mais visitados
Quadro final

Segundo o Google Trends destes 9 termos, o mais procurado foi hi5, seguido por jogos e gmail.
Os resultados do Google trends sugerem que o estudo da Marktest possa ter sobrevalorizado as buscas por youtube e que a ordem das palavras mais pesquisadas possa ser diversa da apresentada pelo estudo. Todavia conclusões só poderão ser inferidas após a publicação pelo Google dos dados para o mês de Março.

Em defesa do painel Marktest convém referir que a amostra do Google baseia-se em buscas no próprio site, não incluindo buscas sindicalizadas a terceiras (ex: sapo, aeiou) ou de outras fontes como o yahoo e a msn: deste modo ficam de fora 50% dos utilizadores da internet em Portugal. O Google admite ainda que possa haver imprecisões com esta ferramenta. É ainda possível que haja diferenças relevantes na metodologia utilizada para agregar os resultados.

O estudo com base no painel também tem as suas limitações. Talvez por ser tão evidente que me deixar passar que o estudo, só pode ser válido para o uso doméstico da internet, nunca “dos portugueses” como vem anunciado nos jornais. Ou seja, de fora ficam as pesquisas realizadas no emprego e nas escolas/universidades, que poderiam alterar as conclusões.
Parece-me por isso mais correcto afirmar que Youtube não foi a palavra mais procurada pelos portugueses, do que o seu contrário.

Ps: Segundo uma outra notícia o estudo indica que You tube (com espaço) aparece também no top 10. Veja aqui a comparaçãode 5 resultados com youtube e you tube e sexo e sex agregados.

O Top 10 dos blogs portugueses no Feedburner

feedburner
Entre as ferramentas mais interessantes que surgiram para servir os bloggers está seguramente o Feedburner. O Feedburner oferece vários instrumentos para promover, monetizar e conhecer melhor a parcela da audiência que segue o blog através do feed rss.

Um desses instrumentos, possivelmente o mais utilizado pelos bloggers , é aquele que indica o número de subscritores que acompanham o blog num dado momento – o FeedCount. Esta informação assume-se a cada dia que passa como mais importante em comparação com outros indicadores como o número de visitas diárias ou o ranking no technorati, dado o crescente número de leitores que escolhe ler os seus blogs no agregador da sua preferência e por ser um indicador mais fiável da autoridade do blog na sua área e das preferências dos utilizadores. Tanto assim é que um conhecido motor de busca incorpora já nos seus resultados para blogs uma análise da utilização agregada pelos subscritores dos feeds de cada blog no agregador da empresa.

O feedburner não disponibiliza publicamente a informação pelo que tive que compilar manualmente um top 10 dos blogs portugueses no feedburner baseado na observação directa de mais de 100 blogs, mesmo quando o blog não apresenta o feedcount no seu template [2 novos blogs foram adicionados à lista]. Lá fora fizeram-se listas maiores dos 40 ou 100 mais lidos, mas a tarefa estará à partida facilitada quando se começa a contagem nos 400 000…

O primeiro blog da lista nacional é uma “surpresa esperada”: um site com um endereço praticamente novo. O blog deixou recentemente o blogger e fez uso do Feedburner para transferir os leitores sem que estes tivessem que mexer um link, outra das faculdades da ferramenta. O tema esse é que já tem barbas.

Os 10 12 blogs portugueses no Feedburner com mais leitores:

 


1º – Gatas-qb.net
(Não aconselho a seguir o link a quem esteja no local de trabalho…)


2º - Webtuga


3º -Ponto Media


4º - Obvious


5º - Mas certamente que sim!


6º - Rui Moura

Feed
7º -Boorlix

Feed
7º -Tugatronica

Feed
9º -Zone41


10º - Remixtures


11º -Economia e Finanças


12º - Na Web2

E algures lá para baixo…


Marketing de Busca

Notem que esta ordenação corresponde a uma observação ao longo de duas semanas. É possível que haja trocas momentâneas de posição entre os blogs, que poderão ou não ser confirmadas ao longo dos próximos dias. O feedburner é sensível à resposta dos leitores pelo que se parte da audiência estiver de férias isso vai-se reflectir no valor apresentado.

Como podem constatar esta lista é ainda incipiente e demonstrativa da fraca adesão dos blogs portugueses ao feedburner, para lá do universo tecnológico ou se preferirem das redes e planetas. É provável que daqui a 6 meses um novo top 10 (fica desde já prometido) inclua menos de metade dos actuais nomes se alguns dos pesos pesados da blogoesfera entretanto se aperceberem das capacidades do serviço. Para elaborar esta lista procurei em mais de 100 blogs, inquiri por email e ainda aliciei amigos a tornar público o feedcount do blog (só tinha 9 blogs com 100 ou mais…). Para publicitar o seu feedcount siga o seguinte percurso no site do Feedburner: Myfeeds > {seleccionar o feed }> Publicize > Feedcount.

Se nos próximos dias surgir algum blog actualizado regularmente e escrito em português que eu tenha ignorado na elaboração desta lista cá estarei para actualizar a entrada.

A cauda longa do marketing de busca

Em menos de 3 meses este blog recebeu centenas de visitantes enviados pelos motores de busca. Para cá chegar esses visitantes inseriram nas caixas de pesquisa diferentes termos ou combinações de termos:

search marketing long tail


Os 10 termos mais utilizados representam menos de 1/4 das visitas, uma percentagem bastante menor se excluirmos a anomalia do primeiro resultado. É natural que esta percentagem cresça à medida que este blog vai subindo nos rankings do google e começa a aparecer bem colocado para termos mais competitivos.

Normalmente os webmasters concentram os seus esforços em estar bem posicionados nos motores de busca para estas combinações mais populares e ignoram quase tudo o resto. À medida que a competição aumenta, os rankings se tornam mais incertos e os utilizadores aprendem a trabalhar com as ferramentas de busca, uma boa optimização interna será extremamente importante para estar no primeiro lugar no Google também para os outros termos, a chamada cauda longa da busca. As combinações que não aparecem no gráfico trouxeram até aqui 3/4 dos visitantes. Visitantes provavelmente melhor informados e já com uma ideia do que procuravam.
No caso deste blog estamos a falar de 742 combinações diferentes, até ao momento.

Adenda: Saiu na sexta mas só no domingo vi, este video da seomoz sobre este mesmo assunto:

Plugin de estatisticas para blogs WordPress

Finalizo a instalação do excelente plugin firestats para ter estatísticas no blog e que vejo eu no painel de controlo?
O anúncio do plugin de estatisticas, fresquinho do dia, que oferece a mesma informação ao dispor dos utilizadores da plataforma wordpress.com e que sempre quis ter.
Decisão difícil? Nada disso, instalo os dois.

PS: Desde então removi o Firestats, muito pesado e com pouca utilidade dada a confusão na apresentação da informação. Instalei ainda o slimstats.