Twitter no plugin Partilhar

twitterGostaria que os visitantes do seu blog pudessem twittar os textos do seu blog com um simples clique?

Há já algum tempo que o plugin Partilhar estava a precisar de uma actualização e do Twitter veio a motivação que eu procurava. A nova versão da extensão para WordPress Share this em português -partilhar chama-se agora Partilhar.

Para lá do Twitter, inclui dois novos sites sociais de língua portuguesa e coloquei o link para o Facebook em posicão relevante (prognóstico: até ao final de 2009 o Fb ultrapassará o hi5.)

O novo nome resolve também o problema das actualizações e confusões com o plugin original. Até à versão anterior da extensão o WordPress exibia uma “nag” a sugerir à actualização do plugin para a versão internacional, o que deixa de acontecer.

A versão 2.0 do plugin foi testada na última versão do wordpress (2.7). Clique para descarregar.

P.s:Já tem o plugin partilhar instalado?
Deixe o seu link aqui ou envie @marketingbusca.

Promoçao através de acontecimentos populares

Escrever sobre os acontecimentos que dominam a agenda dos media e a atenção dos internautas é uma actividade extremamente comum e popular entre bloggers.

Se a maioria o faz por gozo ou mera curiosidade há quem faça destes acontecimentos parte do marketing mix para atrair visitantes para o seu website. Já há até sites criados propositadamente para eventos específicos.

O passo seguinte consiste na criação de secções especiais ou aplicações que permitam que o site se destaque no ruído.
Foi o que fizeram 3 islandeses que perceberam que os cidadãos do planeta partilham um interesse elevado pelas eleições americanas. Vai daí lançaram um site que responde a esse interesse, se o mundo pudesse votar (*).

A atenção é de curto prazo mas lá está, os links permanecem, pelo que este tipo de empreitadas estão melhor vocacionadas como complementos de sites mais abrangentes.

As eleições americanas constituem uma dessas oportunidades para webmasters engenhosos nos entreterem ou se posicionarem como fontes mais ou menos credíveis, servir de distracção ou como arma de arremesso ao serviço dos partidários de cada uma das campanhas.

Desde que a governadora do Alasca entrou na corrida que se percebeu que esta seria uma fonte inesgotável para rumores e anedotas. Já há pelo menos um jogo com ursos polar e calculo que não demore muito a aparecer uma caçada ao dinossauro ou outros com associações aos múltiplos «escândalos» da governadora.

O último que me chegou à inbox é um hilariante gerador de nomes “qual seria o seu nome se fosse filho de Sarah Palin“.

A fórmula de sucesso deste gerador é simples, pega num atributo ou acção do candidato (neste caso os nomes invulgares dos seus filhos) e exagera-o até ao limite, ao mesmo tempo que nos permite participar com uma nova e surpreendente identidade. Ou não me chame eu Blaster Commando ;)

*visto no blog do Package Wichita Palin.

Google Chrome, o browser em cartoons

O Google lança amanhã o Google Chrome, o seu novo browser open Source. O anúncio está no Googleblog, mas não foi esta a forma escolhida pela empresa para dar a conhecer o seu mais recente projecto:

The ultimate blog pitch

Esta semana a Google anunciou o Google Chrome, o seu novo web browser open source, através de um livro de cartoons enviado a Philipp Lenssen.

Se não está ao nível do Google provavelmente não terá blogs de fans para ajudar as suas campanhas de relações públicas, mas este é o tipo de marketing que as grandes marcas devem usar para tirar partido da sua Marca.

Não admira que a marca mais valiosa do mundo gaste «tão pouco» em publicidade.

Site oficial: http://www.google.com/chrome.

A Webdote e a Semântica

Segundo o Jornal de Negócios de ontem a WebDote andou a plantar comentários anónimos em fóruns, chats e blogs para um seu cliente. A empresa vende esta prática enquanto marketing viral, eu prefiro chamar-lhe spam:

O utilizador ‘online’ está sempre à beira de um click para sair. Se nos dirigirmos a ele como anunciantes de determinada marca ou projecto as suas resistências serão à partida maiores. Com uma fonte credível, amiga, é estabelecida à partida uma relação mais forte.

É apenas uma forma de evitarmos as resistências do interlocutor. Se o convite for feito por parte de um membro da comunidade é mais facilmente penetrável.

Note-se a contradição nas próprias palavras da própria empresa: a empresa justifica esta prática porque “Se nos dirigirmos a ele como anunciantes de determinada marca ou projecto as suas resistências serão à partida maiores“.
Mais adiante, e sobre a campanha Aqui há Selo para os CTT, declara não existir falta de ética na campanha que a Webdote desenvolveu para os CTT “porque o objectivo é levar as pessoas a conhecer determinado projecto e não publicitar nenhum produto em concreto.” Ou seja, a prática seria eticamente aceitável porque não nos estão a vender coisa alguma (o que é falso).

Obviamente que a Webdote sabe que o que faz é discutível, de um ponto de vista ético e até legal; e que uma vez expostas as suas campanhas isso poderá causar complicações aos seus clientes. Todavia, prefere chamar-lhe marketing digital e denomina-se até de “agência de marketing viral”.
É tudo uma questão de semântica.

Anúncios Virais no Adwords?

O Bruno encontrou esta criativa “campanha” que incorpora arte ASCII nos anúncios adwords de uma conhecida empresa de aluguer de automóveis alemã:

rent a car

À primeira vista esta anúncio aparenta ser um hoax. É sabido que muitos anunciantes alteram os seus anúncios à noite e durante os fins de semana, quando os empregados do Google deixam os escritórios. Mas o Adwords não permite o uso avulso da pontuação e um anúncio destes seria automaticamente recusado.

O vídeo, que supostamente documenta o trabalho dos publicitários, reforça essa ideia:

Ao contrário do que se exibe na imagem o Google não permite mais do que um anúncio por site nos resultados. (Esta é uma das técnicas menos conformes para eclipsar a concorrência nos períodos de descanso do pessoal do adwords :D )

Finalmente, e seguindo os elos, cheguei à que deverá ser a primeira entrada sobre este anúncio, já de 12 de Dezembro e onde se implica que o anúncio é anterior à data, e que antecede ainda as regras do Google que inviabilizam este tipo de anúncios. O anúncio terá sido premiado com um prémio de inovação no EurobestLive.

O maior mistério desta campanha é ela ter passado despercebida até à semana anterior junto de uma comunidade blogger ávida por este tipo de proezas mediáticas. Serve também de aviso sobre a natureza aleatória do sucesso de uma campanha de marketing viral junto dos blogs.

Eco Find

Eco FindQuando em Julho passado, o Blackle surgiu como uma versão “ecológica” do Google a ideia foi engraçada e ingénua o suficiente para conquistar a atenção de bloggers e media.
Lançado meses depois, o eco-find.com, uma versão do Blackle da responsabilidade de uma empresa portuguesa, reclama ter poupado quase um milhão de megawatts/hora. A ideia tresanda a chico-espertice. Nada contra o lucro fácil, escusavam era de instrumentalizar a causa ecológica.


Numa mensagem posta a circular por email, pode-se ler:

O motor de pesquisa ecológico www.Google-Zero.com atingiu as 500.000 visitas apenas 4 semanas após o seu lançamento tendo sido poupados até agora 900.000 Wh e 400.000 kg de CO2. Parabéns a todos aqueles que se juntaram a esta iniciativa. Vamos divulgá-la! Re-enviem aos vossos amigos e vamos atingir o objectivo de evitar a emissão de 195.000.000 kg de CO2.De forma a tornar esta iniciativa internacional foi lançado o motor de busca ecológico www.eco-find.com. O www.eco-find.com estará disponível em várias línguas, dependendo do local de onde é acedido. Neste momento já está disponível em Espanhol e Inglês, estando para breve o lançamento de uma versão alemã.

A poupança ambiental do google negro é um mito e foi prontamente desmentida em Agosto. Testes efectuados em monitores LCD (usado em mais de 75% dos computadores) sugerem que a diferença é nula:

(…) the power consumption difference between Google and Blackle on all 23 LCD monitors was as small as you could get – an increase of 100mW (0.1Watts). So after all that testing, we’re in a better position to say that anyone else that Blackle makes next to no difference, on average, with LCD monitors.

Os testes demonstraram ainda que o Blackle poupa realmente energia nos monitores CRT, mas apenas metade do que é reclamado. Ou seja, a poupança de energia do Eco-Find/ Google Zero/ Google Zero corresponderá, na melhor das hipóteses, a uma pequena fracção do número posto a circular.
Se realmente pretende tornar o seu PC num amigo do ambiente siga estas 5 simples dicas:

  1. Desligue o computador depois do trabalho.
  2. Diminua o brilho do computador.
  3. Desligue o seu moden durante a noite/períodos de inactividade.
  4. Desligue o pc e periféricos da corrente eléctrica. Mesmo desligados consomem energia!
  5. Use as funcionalidades de poupança de energia do seu computador – e isso não significa um screensaver.

A terminar, duas leituras recomendadas via Mudar o Mundo:

Partilhar

Super Bock e os melhores blogs

13 dos 15 melhores blogs portugueses, ainda não apuseram nas respectivas fachadas o édito do Super Bock Super blogs. Será possível que estes senhores, com blogs de comprovada valia, não se interessem por 3000 aéreos na respectiva conta bancária?

Estará a Superbock ainda a tempo de captar a sua atenção e recrutar os melhores blogs portugueses?


Encerrou no passado fim de semana a eleição do melhor blog português (MBP) e dos vencedores nas diversas categorias (o Marketing de Busca foi o vencedor na categoria SEO). A iniciativa, que não terminou sem as habituais criticas e listas de aspectos a rever para a próxima edição, foi um sucesso. Contudo, o concurso foi abafado pela concorrência de vários outros concursos, entre os quais o Super Bock Super Blog, cujo lançamento foi anunciado sensivelmente pela mesma altura.

A iniciativa da cervejeira tinha tudo para ser um sucesso retumbante; excepto que os marketeiros de serviço esqueceram-se de desaprender o que tinham até aí aprendido. Quiseram tratar os blogues como sempre trataram os seus clientes, falaram de cima para baixo: Nós dizemos como e onde e vocês põem a cruzinha, ok?
Querem a nossa atenção, os nossos links e até conversar connosco mas não aceitam descer do palanque.

Verdade seja dita, a Super Bock ainda vai a tempo de emendar a mão. Poderia, por exemplo, aprender com esta iniciativa do MBP. Eis algumas lições do concurso que poderão servir à Super Bock:

Ignorar estes conselhos não quer dizer que o concurso não possa ser “um sucesso”. Este “sucesso” depende mais do orçamento milionário do marketing da empresa e das relações públicas do que da adesão de bloggers influentes e, já agora, de qualidade.
Porém, se estão realmente à procura de conquistar atenção, fãs e adesão, mais tarde ou mais cedo, perceberão que o conseguirão muito mais facilmente trabalhando com os blogs.

Quantos ao bloggers que me lêem, e não se importavam de ganhar algum, leiam sobre o concurso pro-blogger do Tolnetwork. Podem ganhar 1500 euros sem espinhas e com muita maior facilidade.

Optimizar Videos no Youtube e Sapo videos

Já se interrogaram porque alguns vídeos obtêm dezenas de milhares de visitas no Youtube sem atributos especiais enquanto outros, mais interessantes, relevantes e melhor produzidos se ficam por audiências modestas? A resposta poderá estar na promoção e, como podem calcular, existe já uma indústria dedicada a explorar o filão da optimização de vídeos.

Veja-se o excelente vídeo abaixo de promoção do turismo de Portugal em inglês. Não sei se foi produzido para o meio ou se a sua colocação no youtube não terá sido mais do que o resultado do empenho de um funcionário entusiasmado nas horas mortas do trabalho. Mas sei que, até ao momento, o vídeo conta apenas com 6200 vistas em 6 meses, a maior parte das quais aparenta partir de sites portugueses. Um pouco de promoção não lhe faria mal algum.

Há duas semanas o Techcrunch publicou uma entrada convidada de um idiota que se dedica exactamente a isto: promover vídeos dos seus clientes nos sítios de partilha. Colocando de lado o facto deste imbecil não querer saber da distinção entre influenciar intermediários (relações públicas, SEO) e intrujar utilizadores (spam), a entrada contém excelentes dicas para quem pretende chegar às páginas dos mais vistos e maximizar o número de vistas.

Optimização do título

O título do vídeo é importante não só para os motores de busca como para a pesquisa interna do sítio de vídeos, além de atrair a atenção dos utilizadores. Um título curto que caia no goto dos visitantes pode ajudar à difusão viral nos primeiros dias do ciclo e pode mais tarde ser alterado para algo mais esclarecedor sobre o vídeo (e, se for o caso, a marca).p>

Imagem de Amostra do Vídeo

Uma imagem de amostra (thumbnail) de boa qualidade e apelativa gera mais visitantes. O Youtube oferece três possibilidades para a imagem de amostra: uma delas é colhida exactamente a meio do vídeo. Para quem lida com vídeo não será difícil antecipar qual a imagem utilizada ou que certas imagens gerarão maior interesse que outras….

Carregar vários vídeos ao mesmo tempo

Quem produz uma sequência de vídeos está habituado a libertá-los para o público a espaços de forma a criar expectativa (ainda estão recordados do segredo vodafone)? Nos media tradicionais (e em algumas campanhas na internet com orçamentos generosos) esta estratégia vinga porque o produtor controla a forma como os utilizadores visualizam o vídeo. Mas não é isso que acontece no Youtube: os utilizadores não têm paciência nem estão preparados para esperar pela sequela. Se eles querem gostarem do primeiro, vão querer ver mais. Porém, não voltarão à página nos dias posteriores, a não ser que se trate de algo realmente excepcional.

Optimização das tags

O uso das tags é importante na procura interna e também nos motores de busca pelo que convém etiquetar o vídeo com as “keywords” apropriadas. Todavia, o referido autor descobriu um outro atributo das tags que usa durante a primeira semana do vídeo, antes de as optimizar para as buscas do site: a colocação do vídeo nos “vídeos relacionados”. Efectaudo correctamente, os utilizadores encontrarão os vídeos junto de outros relacionados e populares.

Promoção em blogs e redes

Um aspecto importante e normalmente descuidado é a promoção do vídeo junto de bloggers e utilizadores de redes sociais. A abordagem do autor é, para mim, sinónimo de spam….Porém, isso não significa que se deixe de encorajar os nossos contactos e outros utilizadores a partilhar o vídeo.

Quando o conteúdo não é rei

Existem vídeos que pela sua singularidade e unicidade nos forçam a parar para revê-lo e a querer partilhá-los com os nossos amigos. Contudo, a maioria dos bons vídeos continua a depender de alguns truques para sobressair:

- Vídeos curtos: o ideal para a difusão viral serão 15 a 30 segundos.
É importante notar que sites como o Youtube apenas contam como “view”, a visualização completa, pelo que, se o objectivo é chegar aos mais vistos (para gerar ainda mais visitas), esta é uma condição importante.

- Vídeos simples, que permitam aos utilizadores criar as suas próprias remisturas.

- Nada de anúncios explícitos. Se se tratar de um anúncio, o melhor é que seja realmente bom; caso contrário o melhor é ser discreto.

O autor aponta ainda para algumas técnicas que os publicitários já manipulam magistralmente: uso do sexo e títulos enganadores, mas não serei eu a recomendá-los :-)

O anel da busca da vaidade no Google

vanity ring - anel da vaidade
Anel da vaidade – Google vanity ring.

Um anel que apresenta o número de resultados no Google para o nome de quem o usa em formato electrónico. Uma busca pelo nome próprio é conhecida como busca da vaidade (ou do ego / egosearch).
Poderá este “G” ser o símbolo de uma nova medida para a importância e o estatuto dos indivíduos? Será a atenção uma nova unidade monetária na internet?

Pelo que vejo no site este é um projecto de um aluno da Universität der Künste Berlin. Pena não estar já em comercialização.
[via]

PS. O que falta ao site para ser realmente viral: uma caixa de pesquisa onde os visitantes pudessem inserir o seu próprio nome e saber o número de resultados no Google. Como esta que se vê na imagem:

anel do google

Super Bock Super Blog- como desbaratar uma boa ideia

Um concurso para blogs tem à partida todos os ingredientes necessários para se tornar rapidamente uma campanha viral bem sucedida para uma instituição ou empresa.Que melhor motivo do que a auto-promoção para que os diversos intervenientes passem a mensagem?
É também uma excelente forma de conseguir links, daí que não seja de admirar que marketing viral surja frequentemente associado ao SEO ou SMO (Social Media Optimization).

superbock super blogPara facilitar a divulgação, os promotores deste tipo de iniciativa preparam de antemão o terreno e tratam de remover quaisquer obstáculos que possam obstar a que o blogger se distraia da sua função de “instrumento de promoção”. Um dos utensílios disponíveis são os chamados widgets ou dísticos que permitem ao blogger exibir o troféu perante os seus visitantes e servem ao mesmo tempo como veículo publicitário da iniciativa com link para o site da mesma.

Na essência de uma boa campanha de marketing viral está a vontade, quase irresistível, dos diversos agentes em espalhar a mensagem. Ora, é aqui que a Superbock dá um monumental tiro no pé no seu concurso de blogs, ao pretender interferir naquilo que muitos bloggers prezam como o seu espaço de liberdade individual. A Superbock não pede, não sugere, não disponibiliza um botão “vota no meu blog”. Não, o concurso Super bock Super blog dá 3000 aéreos e por isso entende-se no direito de exigir:

“É um concurso em que toma os bloggers todos por parvos — o que à partida lhe assegura um tremendo sucesso entre os clones do Gatas QB, Como Ganhar Dinheiro Na Internet, O Blog Da Minha Gatinha, Escritos Na Janela e outras vacuidades das quais uma marca que se preza devia fugir em vez de acarinhar.
Aconselho vivamente a leitura dos regulamentos, que são leoninos.”

Sim, leiam os regulamentos:

É condição obrigatória de participação a inclusão do dístico oficial dos Super Bock Super Blog Awards correspondente à categoria a que os Blogs são candidatados, para todos os Blogs aderentes

Todos os votantes têm necessariamente que estar inscritos na base de dados da Super Bock

Os responsáveis pelos Blogs concedem à promotora do concurso o direito de documentar, arquivar e apresentar os seus conteúdos à opinião pública interessada, caso não contestem a participação do respectivo Blog até ao final da fase de nomeação dos premiados.

O que a Superbock está a criar é uma selecção adversa: em vez de ir à procura dos melhores, o concurso incentiva à participação de oportunistas, bloggers com pouco respeito próprio e distraídos que não lêem os termos de serviço.
Porque, e isto é tão gritante que não consigo perceber como podem tais regulamentos ter sido aprovados, nenhum blog que pretenda a admiração e o respeito dos seus pares se vai sujeitar a transformar o seu blog em mostruário de publicidade da SuperBock por um ano, nem se vai sujeitar aos demais termos em troca de uma mera rifa de um concurso.

Next Page →