Injecções de links cada vez mais frequentes

As práticas de SQL injection são uma das principais ameaças a quem gere os seus blogs e sites com CMS populares como o wordpress ou o phpbb. site penalizado resultados googlePrevê-se que em 2009 esses ataques aumentem. Para muitos, o primeiro alerta será dado pelas penalizações do Google.

Há alguns meses o Wilson Morgado deu pela descida abrupta dos visitantes dos motores de buscas no seu blog e descobriu spam Spam no WordPress da Amen.

Haviam sido injectados links na instalação do WordPress que redireccionavam para um site estrangeiro de venda de medicamentos. O pacote do Wilson não lhe permitia acesso ao script pelo que ele alertou a Amen para actualizar o wordpress (era o 2.0.2!)

A resposta da Amen não foi a esperada:
“Informamos que terá de verificar os links e modificar os mesmos, os Add-Ons são ferramentas gratuitas a que a AMEN apenas facilita a instalação. As configurações do mesmos são da responsabilidade do cliente.”

Ou seja a Amen fornece o software mas não se responsabiliza por o manter actualizado nem actua para defender os seus clientes da acção de criminosos.

Se deseja usar o wordpress ou outro qualquer cms no seu site certifique-se que tem o controlo sobre todos os ficheiros ou então entregue o controlo a alguém cuja reputação dependa da qualidade do serviço.

Num caso destes, quando o serviço de alojamento não quer agir, a melhor coisa a fazer é seguir o exemplo do Wilson: mudar de fornecedor.

Google com Localização Geográfica

O alojamento nacional perdeu esta semana um factor adicional de competitividade: o Google adicionou a localização geográfica às ferramentas que disponibiliza para webmasters.


No passado, para ter o seu site na pesquisa por “páginas de Portugal” do Google ou do Sapo precisava de um domínio (ou subdomínio) .pt ou de ter o site alojado em IP nacional (atenção: nem todos os “serviços” de alojamento nacionais alojam os sites em Portugal).
Com esta ferramenta do Google o seu domínio .com, .net, .info, etc. já poderá ser associado ao país. Basta selecionar “Associate a geographic location with this site” (em Tools > Set Geographic Target) e preencher o campo de país no formulário da webmaster central:

Os restantes campos permitem-lhe indicar a morada física da sua empresa/entidade e recomendo que os preencha caso pretenda ver o seu site associado a uma localização geográfica restrita. O Google Local, que ainda não está disponível para Portugal, dispõe de um formulário próprio mas poderá no futuro ser integrado com esta ferramenta.

Com esta ferramenta já pode alojar o seu site ou blog no serviço que melhor serve os seus interesses, sem tomar em conta a localização do IP. Montar servidor caseiro só mesmo para quem tara ;)

A forma simples de “alojar” um blog em dominio próprio

Há muito autor que bloga em subdomínio blogspot, wordpress ou do sapo que gostaria de o fazer no seu próprio domínio.com, mas julga que desiste da ideia perante o cenário de custos de dezenas de euros ao ano, algumas dores de cabeça e sobretudo pelo trabalho e conhecimento técnico necessário. E se em causa estiver um blog “auto -alojado” (como este) o julgamento não estará incorrecto.

O que a maioria das pessoas desconhece é que podem ter o seu blog.com ou sitio.pt por míseros 10/20 euros anuais e sem qualquer necessidade de instalar ou manter software.

Nem todos os bloggers sentem necessidade de ter o seu domínio ou de depender apenas de si próprios no que toca à morada do que publicam. Já com empresas é normalmente ao contrário: com excepção de blogs em nichos/comunidades de amadores e artistas artesanais que se estabelecem em alguns círculos, uma empresa têm muito pouco a ganhar com um blog com endereço blogspot.com.

Um destes subdomínios poderá até ter um impacto negativo na imagem de uma empresa, particularmente quando estas operam nos campos da internet e serviços web, marketing, reações públicas ou comunicação.

O maior obstáculo existente ao alojamento do blog em serviço contratado não são os 40,50 ou 80 euros que custam alojamento e domínio ao ano. São sim os conhecimentos técnicos necessários para instalar e gerir o software.
Esta é normalmente a melhor opção, mas se não tem estes conhecimentos, não tem por perto quem saiba, ou não está disposto a investir os recursos necessários para pagara a alguém para instalar, gerir e actualizar software como o wordpress que mantém este e milhares de outros blogs, então deve provavelmente ignorá-la.

A sua melhor alternativa encontra-se no wordpress, blogger ou typepad. Estes serviços, dois dos quais oferecem subdomínios gratuitamente, disponibilizam serviços de domain mapping a preços extremamente acessíveis.

O que é Domain Mapping

O Domain Mapping consiste em redireccionar um domínio para um segundo domínio, permanecendo o blog alojado no primeiro domínio. Confuso? Imagine o blog omeublog.wordpress.com: o domain mapping fará com que ele possa ser visto na morada omeublogpontocom.com (por exemplo) e apenas aí – e o mesmo se passará com todas as páginas do blogs. O blog continuará alojado no wordpress e poderá no futuro regressar ao endereço original se o responsável assim o entender, mas até lá wordpress.com nunca aparecerá na morada do blog.

Quais as vantagens? Para começar haverá apenas um domínio para o blog – e não dois que poderá confundir os visitantes. Um domínio garante absoluto controlo sobre o que publicamos e onde alojamos o blog -se o serviço der problemas será bastante simples efectuar a mudança para outro serviço ou até para um blog auto alojado. Se mais tarde decidir alargar o âmbito do projecto terá no domínio espaço para criar mais páginas e recursos. Finalmente há a questão dos links noutros blogs, e para SEO.

Serviços de blogs com Domain Mapping

O Domain mapping do blogger é, estou em crer, gratuito tendo o requerente apenas que registar o domínio e seguir as instruções.

setup domain mapping blogger

Uma única tarefa e está o processo resolvido. O blog poderá ficar alojado no domínio ou em subdomínio (directórios não são aceites).

O Typepad é um serviço pioneiro de blogging comercial mas com fraca implementação em Portugal. O serviço de domain mapping está incluído em pacotes a partir de 89 USD /ano. Não tenho qualquer experiência do serviço, sei apenas que é utilizado por alguns dos blogger mais lidos do planeta e julgo que poderão experimentar gratuitamente durante um mês.

Finalmente, o meu favorito: domain mapping do wordpress.com. Este serviço custa 10 dólares/ano ou 15 com domínio .com, .net incluído (mas não .pt /.com.pt) ou seja ~ 12 euros, tanto quanto alguns serviços cobram pelo registo de domínios). Tem o melhor software, uma comunidade portuguesa dinâmica e em crescimento, é o melhor para o SEO, permite a exportação de entradas de uma forma simples e oferece ainda a opção de criar uma conta de e-mail para o domínio.
Recomendo o wordpress.com a todos os interessados, excepto talvez àqueles que estão habituados ao blogger e não confiam nas suas capacidades de adaptação a um novo software ou simplesmente dão-se por satisfeitos com este.
Um extra motivador é o factor técnico: registar o domínio através do serviço significa que todo o trabalho será feito pelo wordpress.com. A empresa oferece ainda a possibilidade de alojar o blog num subdomínio (blog.sitio.pt), que é a solução natural para uma empresa ou pessoa que já tenha um site próprio.

A ter em conta

Se já tem um blog num destes serviços e pretende-o redireccionar para o seu próprio domínio, será como se começasse de novo para os motores de busca, em nova morada. Convém pedir a todos quantos tenham links para o site para os actualizarem.

Antes de fazer o domain mapping experimente o serviço pretendido. Não custa nada e pode evitar dissabores.

Se o tráfego dos motores de busca é importante a curto e médio prazo trate de registar um domínio .pt ou subdomínio do mesmo (registe o seu .com /.net, etc. na central webmaster do Google e terá o assunto resolvido). Os domínios .pt serão liberalizados ainda este ano. Se teme que alguém o possa registar por si antecipe-se e registe a sua marca. Em caso algum patrocine os ciber-piratas pagando-lhes um resgate pelo domínio que pretende.

Para evitar confusões: wordpress= software que gere este e milhares de blogs no planeta; wordpress.com= plataforma de blogs (como o blogger ou os blogs do sapo/iol) gratuita que utiliza o software wordpress.

Segurança no alojamento de sites

Se aloja o seu próprio site ou blog um dos elementos ao qual estará provavelmente a dedicar menos atenção que o devido é a segurança. Muitos webmasters não se dão conta destes problemas a não ser quando os afectam. Alguns destes problemas podem levar à exclusão temporária do site nos resultados ou afectar a confiança dos motores de busca nas páginas alojadas no domínio. O Google webmaster blog publicou esta semana uma breve lista para verificar a segurança de sites. Destes, destaco:

Há mais, o melhor mesmo é ler o artigo completo.

Um conselho que poderia estar naquela lista é verificar se o serviço de alojamento é de confiança e efectuar diligência antes de contratar. Ontem descobri num site, criado por mim e alguns amigos, uma página 404 (página não encontrada) pirata: criada pelo serviço de hosting, sem qualquer link para o site principal, e quase completamente preenchida por anúncios ao jeito de domain parking. Pior, os visitantes do site levam ainda com uma nova janela popup com mais publicidade.
O domínio foi registado gratuitamente por um amigo, incluído num plano de alojamento bastante atractivo, pelo menos à primeira vista. Agora sabemos que não será bem assim. Definitivamente, evitem os serviços da ixwebhosting.com.

Domínios

Guy Kawasaki publicou ontem uma entrada sobre como construir um projecto online “web 2.0″ com 9000 euros. Chamaram-me à atenção os pontos 7 e 8 da sua lista: Guy gastou quase 10% dessa quantia para comprar domínios, 55 ao todo.

E para que precisa Guy dos restantes 54 domínios, se usa apenas um? Para se defender de especuladores, de simples imitadores ou de domainers profissionais que exploram os erros de digitação dos utilizadores param os redireccionar para sites que contém apenas publicidade. Se não o tivesse feito antecipadamente já esses nomes estariam tomados.

Em Portugal o mercado é bem mais pequeno e o interesse é menor, o que não quer dizer que não haja interessados em especular. Ia a apontar para bloguitica.com como exemplo mas parece que o antigo dono já o abandonou e está agora com publicidade.

Finalmente uma nota para quem pretende registrar domínios de topo. Guy menciona o Godaddy e de facto a empresa é bastante barata. Em Portugal os preços tendem a ser o dobro ou mais deste e foi por isso que fiquei surpreendido quando descobri uma empresa que os vende por 8 euros/ano. Não vejam esta menção como uma recomendação, não os conheço nem com eles contactei, apenas mera satisfação por ver alguém que não só pratica preços bastante razoáveis na venda de domínios como demonstra respeito pelo comprador individual ao incluir o IVA no preço final.

Coloque o seu site pessoal nos motores de busca

Vai criar um site pessoal e gostaria que este surgisse nos primeiros resultados dos motores de pesquisa para buscas por o seu nome? Na entrada anterior escrevi que ter o seu site na primeira página para o próprio nome deveria ser natural, da mesma forma que ouvir alguém falar de si é uma das melhores formas de a conhecer. Infelizmente nem sempre é assim com os motores de busca.

Os motores de busca utilizam um conjunto de proxies para identificar o assunto de cada página que indexam e a importância da mesma. Nem sempre é possível aos motores de busca identificar claramente o assunto, ou atribuir a importância devida, pelo que muitos sites acabam subrepresentados nos resultados de buscas.
Conheçamos alguns desses factores e como os utilizar correctamente para «comunicar» com os motores de busca.

Endereço do site

Registe o domínio ou subdomínio com o seu nome. Exemplos: olegarioamadeus.com ou olegarioamadeus.no.sapo.pt.
Um domínio com os termos de pesquisa no endereço está à partida em vantagem sobre aqueles que não os usam. Os motores de busca entendem esta escolha de nome como um compromisso de lono prazo e como indicador fiável do tema de um site.
Também é possível fazê-lo com o nome dos ficheiros no seu site (Ex: odeus.com/olegario-amadeus.html) mas aqui a importância atribuída é menor.

O título da página

O título de uma página é visto como um indicador do assunto dessa página e é um dos mais importantes factores nos rankings dos motores de busca. Certifique-se que o seu nome consta pelo menos no título da página que considera mais relevante sobre si. Exemplos: Olegário Amadeus ou Olegário Amadeus – site pessoal. É importante que as outras páginas do site tenham um título diferente, por exemplo: Curriculo vitae – Olegário Amadeus ou Hobbies do Olegário.

Para evitar confusões com o ponto seguinte por título da página entenda-se o atributo title do head – para leigos a breve descrição que consta no topo do browser.

O título do texto

O título numa página é o texto mais relevante e, supostamente, mais importante da mesma, são as letras gordas que apresentam a página aos leitores. Um título Site pessoal de Olegário Amadeus é bastante mais relevante do que um Bem-vindo ao meu site. Um título deve usar uma fonte maior que o texto comum de forma a destacar-se tanto para humanos como motores de busca.

Links internos

Certifique-se que as principais páginas se encontram linkadas da sua página de entrada, e que cada uma delas linka pelo menos a página principal. Ao linkar utilize o nome da página no texto-âncora, ie. o texto que surge visível no link, ex: Olegário Amadeus (aponta para este artigo). Desta forma está a reforçar a ideia de que em página x se aborda o tema Y. A importância do texto-âncora está bem documentada nos diversos incidentes com “google bombs“.

No texto

Como é que você se apresentaria aos leitores? «Olá chamo-me Olegário Amadeus, tenho 45 anos, sou árbitro de futebol. Bem-vindo ao meu site.» Possivelmente algo do género. Os motores de busca consideram a inclusão do seu nome no primeiro parágrafo do seu site como mais uma indicação de que a página de facto é sobre si.

Inclua mais algum texto se tiver algo a partilhar, páginas com uma simples frase ou parágrafo tendem a encontrar dificuldades nos motores de busca.

Imagens

Grave a sua foto em ficheiro com o seu nome, ex: olegarioamadeus.jpg. Online uso o atributo alt, originalmente criado para a navegação sem imagens, para descrever o conteúdo da fotografia, ex: alt=”olegario amadeus” [código completo: <img src="olegarioamadeus.googlepages.com/olegarioamadeus.jpg" alt="olegario amadeus">]. Se o contexto o permitir utilize o seu nome em texto anexo ou em legenda à própria foto, ex: “Olegario Amadeus com Filipe Vieira no Canal Caveira”.

Promova o seu site

Pergunte aos seus amigos que têm sites ou blogs se estão dispostos a linkar para si. A maior parte fá-lo-á de bom grado. Os motores de busca interpretarão estes links como recomendações e atribuirão, com elevada probabilidade, maior importância ao seu site.
Não se esqueça de sugira aos seus amigos que utilizem o seu nome como texto-âncora.

Adicione a sua página ao directório do sapo, levará o seu tempo mas eventualmente terá a sua página listada no directório. Não se esqueça de incluir o seu nome no campo para título e, muito importante, passe algum tempo a estudar a melhor descrição para incluir no serviço. Não só não a poderá alterar mais tarde como é frequente que os resultados do directório surjam antes ou muito próximos dos sites que se pretende, pelo que esta poderá a primeira fonte de informação para terceiros que o procuram.

Estar listado num directório português tem ainda uma outra função caso utilize um serviço estrangeiro: permite-lhe estar presente nos resultados de buscas para “páginas de Portugal” no Google ou no Sapo. Se o artigo que linko não o esclarece, experimente procurar o seu blog favorito no blogspot, nos resultados para portugal, ex: ablasfemia

Alguns serviços de alojamento gratuito

Páginas
Homepages do Sapo
Googlepages
Alojamento em subdomínios e com ferramentas que permitem criar um site sem conhecimentos de html

Blogs
Blogs Iol
Blogs do Sapo
Blogs do Sol
Blogspot
Weblog.com.pt
Wordpress.com

Site + blog
Wordpress.com
Possivelmente a maior parte dos outros serviços de blogs prestam-se a tal, mas apenas através de programação. O wordpress.com permite fazê-lo com recurso às opções do site (embora com algumas limitações).

Questões?
Esta entrada foi preparada tendo como destinatários pessoas que não têm necessariamente conhecimento de html ou de outras linguagens de programação, pelo que terei todo o gosto em responder a perguntas cujas respostas possa ter deixado nas entrelinhas.
Se o seu objectivo é optimizar um blog, tenho para o futuro planeada uma série dedicada ao tema.

Amanhã publicamos a última entrada da série dedicada à gestão da reputação nos motores de busca com um contributo do Bruno Amaral. O Bruno mantêm um blog sobre relações públicas.

Blogs para empresas

O Bruno Amaral publicou há dias uma interessante entrada para quem se inicia no mundo dos blogs, o manual do cultivo de blogs. Gosto deste título coloca a ênfase no “cultivo”, uma actividade que requer um pequeno investimento, dedicação constante e uma boa dose de paciência para que se possam colher os seus frutos.
Pensar o contrário é mera ilusão, e aqueles que como a Vodafone pensam acelerar o processo com uns “pozinhos de mágica” acabam por se queimar com o próprio fogo. Não concordo com outro Bruno, o Ribeiro, quando diz que a empresa inutilizou a blogoesfera como instrumento de marketing nos próximos tempos, quando muito terá deixad alguns caralas das corporações a repensar a estratégia. Confio até que vai facilitar a tarefa dos próximos que se aventuraram no meio, as expectativas dos bloggers são bastante reduzidas, e basta “ fazer melhor do que a Vodafone” para se ser aceite. Em breve veremos empresas portuguesas a afluírem a este meio,sobretudo PMEs que poderão colher dividendos da visibilidade na blogoesfera.

Fala-se em visibilidade e a pergunta que normalmente se coloca aos SEOs é qual a melhor localização de um blog. A resposta é quase sempre o próprio site da empresa, uma directoria ou subdomínio, excepto se tal inibir o blogger a assumir o discurso mais casual dos blogues, ou se o site da empresa for gigantesco. A utilização das plataformas mais populares como o blogger.com ou blogs.sapo.pt já não é condição necessária para encontrar uma vizinhança com a qual estabelecer um diálogo, são cada vez mais o desenrasca daqueles que não têm recursos técnicos, financeiros e intelectuais para criar o próprio espaço.

Refira-se que alojar o blog em domínio próprio e mantê-lo actualizado não é tarefa simples a quem possa confundir FTP com federação de tiro aos pratos. Há no mercado soluções comerciais a preços bastante acessíveis, com domínio incluido, casos do wordpress.com e typepad. Geralmente melhores até do que soluções costumizadas e integradas no cms lá da empresa.

Vantagens do alojamento de sites em Portugal

Quem já procurou serviços de alojamento de sites em Portugal sabe que o webhosting nacional é tradicionalmente mais caro, oferece menos recursos e o serviço é inferior ao que se pode contratar no estrangeiro – embora haja casos e casos. Contudo, há um argumento de peso que poderá fazer pender a balança para o alojamento de um site em Portugal: motores de busca.

Existem naturalmente alguns benefícios inerentes ao contracto com um fornecedor português: a informação e o serviço são disponibilizados em português, assim como a facturação; sites alojados em Portugal, ou em países vizinhos, poderão carregar mais depressa no browser do visitante, e isto é importante para sites pesados em imagens, gráficos e scripts. Empresas de hosting que operam no seu mercado local serão mais sensíveis à reputação, particularmente pno caso de serviços mais pequenos e que marcam presença nos blogues e fóruns sobre webhosting /desenvolvimento web, logo terão maior interesse em assegurar um bom serviço aos seus clientes do que webhosts estrangeiros com dezenas de milhares de clientes.

Para os sites de domínio que não o .pt (ou .com.pt) existe ainda uma outra vantagem: O site será domiciliado pelo Google (e pelo Sapo) em Portugal, elegível para as buscas para páginas de Portugal:

Our crawlers identify the country that corresponds to a site by factors such as the physical location at which the site is hosted, the site’s IP address, and its domain restrict.

E por que é isto importante? Porque cada vez mais os utilizadores do Google em Portugal querem encontrar sites em português – e de Portugal. Muitos têm até a opção páginas de portugal pré-activada e só farão consulta em páginas escritas em Português ou em a web caso os resultados da primeira não sejam satisfatórios. Ao alojar um domínio .com (ou .net, .org,…) em país estrangeiro o site será simplesmente banido dos resultados de procura destes utilizadores dos motores de busca para páginas de portugal.

Note-se que alojar me Portugal não é sinónimo de contractar um hosting português. Boa parte deles subcontractam servidores noutros países, pelo que será inútil o esforço se o servidor não estiver fisicamente em Portugal, com IP de Portugal. Sugiro que, antes de contractar o alojamento peçam por escrito uma declaração do hosting vcom informação da localização do sevidor e se comprometem a alojar o site sob IP português.