Anúncios no Google News

Depois de três meses de testes, o Google News lançou ontem anúncios no Google News:

anuncios-google-news

Notícia e captura SEW.

Por enquanto os anúncios apenas podem ser vistos nos EUA, é possível que no futuro eles surjam também noutras edições; será de antecipar algumas cautelas legais por parte do Google nalguns mercados europeus, onde os media se mostram mais agressivos.

Este é a deixa e tsmbém um convite para participar da animada discussão nos comentários da última entrada: Anúncios do sapo ou adwords?

Anúncios do Sapo ou Adwords?

anuncios sapo A PT aliou-se recentemente aos principais grupos de media nacionais para uma rede de anúncios de texto transversal a todos os sites e publicações dos respectivos grupos.

Com esta mudança saem a ganhar os anunciantes que podem colocar anúncios em todos no sapo e nos principais sites de conteúdos portugueses através de uma única plataforma e ganham os produtores de conteúdos que dispõem de um maior leque de anunciantes e de maior controlo sobre os anúncios que publicam.

Para saber mais leia as minhas respostas no webismo e veja a notícia do anúncio.

Anúncios do Sapo ou do Google?

Não sei se é intencional, mas ocorreu-me que o posicionamento enquanto alternativa ao adwords é bastante engenhoso por parte dos anúncios do Sapo. Todavia, tal não fará grande sentido.

adwordsBasta lembrar que 94% das buscas feitas em território nacional são do Google.

E que as principais publicações nacionais estão na rede do sapo.

Corolários:

=> O anunciante que deseja anunciar nos resultados de busca não tem forma de fugir ao Adwords. O Sapo terá 5% do mercado de busca.

=> O anunciante que pretende publicar anúncios de texto contextuais junto das principais publicações nacionais terá que usar os anúncios do Sapo.

=> O anunciante que queira publicar anúncios num lote diversos de sites, incluindo blogs, publicações de nicho e outros generalistas poderá optar entre o Adwords e os anúncios do Sapo.

p>Sobretudo para pequenos e médios anunciantes, a escolha continua a ser muito limitada, apesar desta iniciativa da PT e dos grupos de media.

PS: Com esta concertação de vontades dos grupos de media não percebo porque, em vez de se queixarem do Google, os jornais não acabam com o Google News Portugal.

Sim, escrevi acabar; sem as notícias destes meios o Google News perde todo o interesse. Existe até um serviço externo que poderia substituir com sucesso o GNews, se os jornais o quisessem comprar (eu devia pedir uma comissão por coisas destas ;).

Aumente as vendas de Natal com o Adwords

vender para espanhaAs vendas de Natal ficaram aquém do esperado, o stock em armazém é uma dor de cabeça? A compra de presentes de Natal pode já ter passado, mas no país vizinho até aos primeiros dias de Janeiro é vindima.

Os comerciantes das áreas fronteiriças sabem disto e estão preparados. Comerciantes de outras localidades, desde que não muito longe da fronteira, também podem atrair turistas espanhóis se usarem as ferramentas correctas.

Em Espanha, ao contrário do que sucede em Portugal e na maior parte da Europa, a troca de presentes decorre pelos “Reyes”, ou seja, daqui a duas semanas. Porque não piscar o olho a “nuestros hermanos” com um bom incentivo para cruzar a fronteira? Por exemplo, um desconto* precoce sobre alguns dos produtos mais apelativos ou um generoso loss leader

A forma mais simples de atrair especificamente os clientes espanhóis é através do Google Adwords: basta criar anúncios localizados geograficamente para as áreas mais próximas do país vizinho, ou de todo o país no caso das lojas online, tendo por alvo os produtos em promoção.
O anúncio deve conduzir até uma landing page que explique, àqueles que ainda o não saibam, porque as “rebajas de navidad han enpezado en Portugal” e que hajam mapas e informação precisa de como chegar até ao estabelecimento. Não vá o cliente distrair-se com outras ofertas.

A oferta em si terá de ser tal capaz de justificar a deslocação ou a campanha será inútil. No caso das lojas online certifique-se que a mercadoria chegará ao destino atá ao dia 5 de Janeiro e que os custos suportados pelo cliente não ofuscam a poupança.

*Com agradecimento ao Sérgio Matias.

Recebeu um Cupão oferta do Google Adwords? Não há dinheiro grátis

adwords Nas últimas semanas o Google enviou cupões oferta do Adwords no valor de 100 Euros aos utilizadores dos seus serviços de email e de Estatísticas. Outros webmasters recebem cupões na contratação de alojamento para os seus sites.

Estas ofertas são frequentemente encaradas por webmasters como um tiro de sorte ou uma raspadinha, e por isso gastas de forma negligente. O pior é quando esta negligência se traduz em vícios dos anúncios que poderão custar dinheiro aos anunciantes.

O meu conselho a quem recebe um cupão é o de que encare esta oferta como um investimento em formação. Quantas horas ou minutos valem para si 100 euros? Então use esse tempo para apreender o adwords e afinar as suas campanhas. Dessa forma evitará pagar o imposto da ignorância.

Se agora se inicia ou se nunca prestou muita atenção à optimização dos seus anúncios então estas 5 dicas poderão ser um importante ponto de partida para as suas campanhas:

1. Use as ferramentas de selecção geográfica
Muitos anunciantes não sabem, outros parecem não se importar muito, mas as campanhas são exibidas globalmente, incluindo mercados que não têm qualquer interesse. Por exemplo, no Brasil.
As opções do Adwords permitem-lhe, não só dirigir as campanhas a um país, como inclusive limitar a área geográfica para apresentação dos anúncios.

2. Separe os anúncios nos resultados dos da rede de conteúdos
Os anúncios do adwords não surgem apenas nos resultados do Google: eles surgem também em sites de parceiros de busca (outros motores de busca) e em sites da rede e conteúdos – basicamente sites que incluem anúncios Adsense.

Se ainda agora se inicia limite-se a anunciar nos resultados do Google e talvez nos parceiros. Se já está à vontade a criar e gerir anúncios e deseja anunciar em blogs e sites como este crie uma campanha separada para a rede de conteúdos.
Dito uma forma simples, a eficácia (ou falta dela) de uma campanha numa das redes poderá influenciar o preço e a visibilidade nas outras.

3. Use palavras chave exactas, evite combinações amplas
Uma combinação ampla permite que o Google coloque os seus anúncios sempre que a sua palavra chave surgir. Neste exemplo, os anúncios da Toyota são apresentados pese embora a busca incida sobre “motores de busca”:

Toyota e search engine optimization

Se não tem bolsos fundos como a Toyota então o melhor será limitar as suas palavras chave aos termos exactos que lhe dizem respeito. É perfeitamente razoável utilizar combinações amplas mas deve para isso exercer uma rigorosa vigilância e definir um orçamento aceitável.

4. Bloqueie anúncios em domínios estacionados
Domínios estacionados são sites que servem apenas anúncios aos visitantes que lá chegam por engano. Se o seu site é tal que alguém que chega à procura de um site ou de uma página possa ser convertido em cliente então beneficiará destes anúncios.
Caso contrário, siga estas instruções para bloquear a presença dos seus anúncios neste tipo de sites.

5. Use de um orçamento diário razoável.
Ao criar e refinar as suas campanhas verifique que o seu orçamento não é gasto ao fim de algumas horas: este é um erro frequente e que significa que o preço de muitas palavras chave desce significativamente ao fim do dia.
Com o tempo poderá avaliar o retorno por cada clique e qual o valor esperado por clique para ajustar o seu valor de licitação. Certifique-se que o seu orçamento diário lhe permite colocar anúncios durante as 24 horas.

Poderá encontrar mais informação sobre anúncios contextuais na categoria Adwords.

Toyota também tem Search Engine Optimization

Uma pesquisa no Google por search engine optimization relevava ontem o seguinte anúncio contextual:

Toyota anuncia em Search engine optimization

Claramente, engine optimization é com a Toyota. Adwords, nem por isso :)

Pesquisa de keywords simplificada com o adwords

A pesquisa de keywords está, a partir de agora, mais simplificada: o google disponibiliza no adwords um valor aproximado para o volume das procuras para termos relacionados com as palavras-chave sugeridas:

keyword tool do adwords

No passado, a única informação disponível eram as barras verdes, visíveis na captura acima, e que transmitem informação relativa sobre o número de procuras, a qual competia ao anunciante interpretar. A nova informação é extremamente útil não só para quem gere campanhas como para quem optimiza o seu site, podendo de antemão estimar o volume de tráfego para determinadas buscas.

Para quem não está familiarizado com a ferramenta esta página tem instruções para aceder à ferramenta de keywords do Adwords.

É apenas um palpite mas creio que, a seu tempo, o Google trends seguirá o mesmo caminho.

Via Inside Adwords.

Marcas registadas no Adwords

A política de marcas do Adwords estipulaIf the advertiser is using the trademark in ad text, we will require the advertiser to remove the trademark and prevent them from using it in ad text in the future” e requer que haja iniciativa de queixa por parte do detentor da marca.

anuncios adwords dada sapo pt

O que dizer de um simulacro de uma URL como é o caso deste anúncio de vídeos?

Anúncios Virais no Adwords?

O Bruno encontrou esta criativa “campanha” que incorpora arte ASCII nos anúncios adwords de uma conhecida empresa de aluguer de automóveis alemã:

rent a car

À primeira vista esta anúncio aparenta ser um hoax. É sabido que muitos anunciantes alteram os seus anúncios à noite e durante os fins de semana, quando os empregados do Google deixam os escritórios. Mas o Adwords não permite o uso avulso da pontuação e um anúncio destes seria automaticamente recusado.

O vídeo, que supostamente documenta o trabalho dos publicitários, reforça essa ideia:

Ao contrário do que se exibe na imagem o Google não permite mais do que um anúncio por site nos resultados. (Esta é uma das técnicas menos conformes para eclipsar a concorrência nos períodos de descanso do pessoal do adwords :D )

Finalmente, e seguindo os elos, cheguei à que deverá ser a primeira entrada sobre este anúncio, já de 12 de Dezembro e onde se implica que o anúncio é anterior à data, e que antecede ainda as regras do Google que inviabilizam este tipo de anúncios. O anúncio terá sido premiado com um prémio de inovação no EurobestLive.

O maior mistério desta campanha é ela ter passado despercebida até à semana anterior junto de uma comunidade blogger ávida por este tipo de proezas mediáticas. Serve também de aviso sobre a natureza aleatória do sucesso de uma campanha de marketing viral junto dos blogs.

Saber se procuram por nós

Recentemente chegou ao blog, pelo Google,alguém que pretendia informação sobre se há maneira de saber se procuram por nós no google. A informação não se encontra livremente disponível, mas o google disponibiliza uma ferramenta, que se utilizada adequadamente, permite saber se procuram por nós e quantas vezes. Naturalmente é paga: os anúncios adwords.

anuncios do googleAo criar um anúncio a “ferramenta de palavras-chave” apresenta-lhe as ocorrências do mês anterior para o termo sugerido. Já sabemos se houve pesquisas, mas até aqui os valores são relativos. Para saber mais terá de pagar.

Nas palavras chave coloque o seu nome e eventuais variantes – lembre-se de utilizar a correspondência exacta ie. [palavra-chave] (palavra chave entre parêntesis rectos) para desta forma evitar buscas por pessoas ou expressões que partilham algumas dessas palavras ex: (Rui Dias de Santo António dos Cavaleiros).

Edite ainda os parâmetros da campanha para que os anúncios apareçam apenas no Google e talvez nos parceiros de pesquisa do Google, que são outros sites de busca onde os utilizadores podem buscar o seu nome. Evite a rede de conteúdos, não interessa para o propósito. Pode ainda editar o público alvo (por língua) e a localização. Sugiro apenas a última, para restringir os anúncios ao território nacional.

anuncio no googleSe fizer tudo correctamente, e depois de ter pago a taxa de activação, um anúncio como este surgirá no Google de cada vez que alguém procurar por si ou um homónimo, e o adwords apresenta-lhe as estatísticas: número de vezes que alguém clicou, número de vezes que os anúncios foram apresentados. Era esta a informação que pretendíamos.

E se o anúncio for melhor do que o que criei poderá até ter visitas no site que indicou.

Google tem novo modelo de anúncios: pay per action

O Google anunciou hoje que vai testar nos EUA um novo modelo de pricing dos anúncios: o pay per action. O anunciante define os parametros da conversão (ex: venda, subscrição) e atribui um valor a cada acção. Os sites com anúncios são recompensados não pelo número de cliques mas por acção concretizada, num valor necessariamente superior. Há ainda a novidade de para lá dos habitaus anúncios de texto e imagem, os anunciantes terem a partir de agora ao seu dispôr links de texto. Estamos a falar da massificação do marketing afiliado.

Este novo modelo tem o potencial para alterar seriamente o sector da internet que depende dos anúncios do google. Um modelo de custo por acção reduzirá a click fraud e os incentivos à construção de sites feitos para a adsense (MFA), ao mesmo tempo que recompensará os autores com maiores capacidades para atrair e enviar clientes para o site dos anunciantes.

Mais informação no blog oficial Inside adwords.

Actualização (23.03): A ler Inventory and Risk de Seth Godin. Seth apresenta o PPC como a solução de compromisso em que anunciante e anunciador partilham o risco e tem dúvidas sobre se será possível adoptar o modelo afiliado a milhões de páginas da mesma forma que o Google faz hoje com o adsense porque com o PPA os anunciantes têm fortes incentivos a criar sites/páginas que não convertem ( pelo menos da forma que será verificada pelo google…) , assumindo o anunciador o risco pelo espaço ocupado no seu site sem grandes retornos. Algo que quem tem banners afiliados já sabe.
Interessante e provocatória esta frase sobre a muito discutida fraude nos cliques: «I think click fraud is overrated as a problem, certainly compared with circulation inflation at magazines or bored surfers or couch potatoes.»

Next Page →